quarta-feira, 6 de julho de 2011

RENATA MONTEIRO - TESTEMUNHO

Caros sucessores e coleguinhas de aventura,

Estamos no presente dia 23 de Maio, e como todas as segundas feiras, é dia de Jorn@lês. Basicamente e em palavras directas um grupo de 9 alunos exemplares e 3 professores reúnem-se para escrever noticias do nosso Agrupamento.
Para acompanhar as modernices de hoje em dia e deixar o velho do Restelo bastante isolado nos Lusíadas (grande obra, deviam ler já agora), esta equipa decidiu criar um blogue.
O entusiasmo ao inicio (quase que) era capaz de mover montanhas, secar oceanos e gerar verdadeiras catástrofes Naturais. Para quem não gosta de metáforas, a inspiração e a motivação estavam no auge. Literalmente.
Se querem que vos diga a verdade, não gosto muito da parte em que é tudo informático. Alem de captarmos menos leitores, há qualquer coisa nos livros e no papel que os torna bastante superiores aos computadores. Como se tivessem uma história a contar, não sei.
Mas pronto, o que importa é escrever, partilhar ideias e opiniões.
Se tivesse que vos contar o melhor momento escolheria sem dúvida a ida ao JN – Sim, meus amigos, “Jornalistas de Palmo e meio invadiram o Jornal de Noticias”!
O pior foi quando, bem, quando a criatividade ganhou asas… Peçam ao vosso excelentíssimo professor que vos explique o que nos obrigou a fazer! E nada o demoveu, chamamos-lhe exploração infantil, perda de tempo: não valia a pena, destas mesas teriam de sair 1500 aviões de papel laranja! Perguntam vocês o que estas artes têm a ver com o Jornal? Há algo que devem saber: tal como na imaginação, quando passam estas portas, não conhecem a palavra limites. E se para chamar a atenção do resto da Juventude, da tão intitulada “massa desinteressada” (não acreditem nisto, não podemos tomar o todo pela parte), é preciso construir aviões, então que seja! Já Einstein dizia, “1% de inspiração, 99% de transpiração”.
Gostava que para o ano não se limitassem às paredes de cimento da nossa escola e construíssem pontes para o mundo exterior. Escrevam sobre a fome, sobre a pobreza, sobre o ambiente. Dissertem sobre a crise, sobre jovens que continuam a inspirar os seus semelhantes. Escrevem para ser ouvidos.
Mas para isso precisam de se organizar, de se tratar como grupo e de se motivar. Dividam-se, tratem cada um de um tema e lembrem-se que ao falhar, não falham sozinhos. Ah, e divirtam-se, afinal é para isso que participamos nas coisas.
Bom, acho que é tudo, tenho a certeza que vão fazer um trabalho “delicioso”, citando o nosso editor chefe, professor Adriano.

Força na maionese e até qualquer dia Jornalistas da escola Soares dos Reis.
A torcer por vocês, Renata Monteiro.

Sem comentários:

Publicar um comentário